E o que se diz pra vida?

A mesma história quando a cabeça está desocupada. Pra variar, todas as noites. Era setembro, que se lembre. O medo pela morte nuca foi tão grande quanto como aquelas torres que acabavam de cair. Sempre pareceu-lhe frescura ou um simples pesadelo que custava a passar (ou que pudesse entender). Seja o que for, o desejo de ser eterna era inevitável.

Nunca esteve ao acaso de escrever sobre a morte, mas quando criatividade e falta de motivos começaram a bater em sua porta, discorrer sobre a angustia de morrer era a coisa mais boba mas a que mais que serviria para acabar com tal tormenta.
Se é questão de amadurecimento... já não se sabe. Só és um fato. Consumado. Isso é triste? Talvez. A dúvida talvez não deveria existir, aliás, não existe. É triste pra quem não se acostumou a idéia de que verdade absoluta e unica certeza (absurda) que temos é esta.
E o medo por ela chegar, onde fica?
Fica com a incerteza no que virá depois. Depois? Se finalmente ela encontrar alguém, saberá ela o que esperar. É só questão de tempo.
Mas vem cá, o que acaba primeiro: o nosso tempo ou a vida que vemos passar?


CONVERSATION

5 comentários:

  1. Boa pergunta, acho que a vida que vemos passar acaba antes, o nosso tempo pode ter à qualquer minuto.

    ResponderExcluir
  2. tempo a gente tem né?
    vida também, mas a vida acaba primeiro. Pelo menos eu acho. :)

    ResponderExcluir
  3. A vida passa tão rápido que os minutos não parecem existir :x

    - Lindo blog, nova seguidora :)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. nossa , acho q alguem mudou de ideia quanto ao medo de morrer nao eh mesmo ? ameiii esse tbm , como todos so seus textos né !?

    ResponderExcluir
  5. às vezes é bom nem saber o que acaba primeiro. É ruim levar a vida esperando saber se o tempo passa mais rápido do que ela mesmo. Mas, mesmo assim, é uma dúvida que todos nós temos.
    Me fez refletir.

    Mirian Reis

    ResponderExcluir

Back
to top