quando foi ?

Tantas coisas pra falar.
Eu olho pra mim. Olho nos meus olhos e vejo tantas feridas insistentes em dor.
E eu estava pensando hoje. Se somente hoje, no meu coração e na minha mente, houvesse espaço pra entender a falta de discernimento entre eu, você, eles, eu não teria motivos pra estar aqui.
Tantas coisas em mente. Tantas lembranças que agora se apaziguam-se em dor. Em raiva. Quase caio por terra pela tal dor.
Eu vivi. Não foi mentira como ouvi de tua boca sussurrar nos meus olhos dentre meus ouvidos.
Às vezes, agora, escondo-me em demasia, me entrego e sofro. E a alvorada insiste em me perseguir, antes que eu possa sorrir sem motivos.
Não sei explicar.
Será que meu caminho é tão errado quanto o seu ? Não sei.
Insegurança já me fez muito mal. A tua.
Você insistia em fugir e eu aqui, tentando te trazer de volta prum coração que tanto chorou em dedicação a tua instituição que me fazia desmoronar.
Não consigo desprender-me do tempo passado ao falar de quem me faz tremer o peito.
Mas eu sabia que era a hora. E isso me faz ver que precisava respirar.
Desencontros, mágoas e dores me remetem ao passado. Ao presente. Ao meu agora.
Como eu e você, como nós, nosso passado, teu passado o incerto não se se te amo ou se sinto vontande de ter teus olhos de volta.
Mas, você não entenderá.
Isso agora já não tem importância.
- a minha insegurança era por nós.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top