Alguém


É destas coisas simples que eu sinto falta. De não ter vergonha de amar e ser amado. Dos sorrisos bobos que a gente dá quando está apaixonado por alguém. Daquela sensação de tudo ao redor congelar e só existir aquele momento. Andar na chuva sem medo de se molhar. De ser beijado no metrô e a vida continuar a passar para os outros. De não doer um gesto como dói uma palavra. A gente vive de uma maneira tão, mas tão sufocada às vezes que chega a parecer piada. Ou talvez eu seja apenas a rainha do drama, que chora por tudo, que reclama que as coisas não dão certo... mas eu acredito tanto nas coisas, eu boto tanta fé naquilo que eu quero pra minha vida. É tanta expectativa que transborda e se torna frustração, que o título faz jus a mim. "Eu só queria ser feliz, cara." A vida é uma bola de neve. E olha que eu nunca vi neve pra fazer esta afirmação. Sempre acreditei nas coisas fundamentais para nossa caminhada, como felicidade, amor próprio, carater e sabedoria. Eu acreditei, aliás, que tinha tudo isto. Isto na verdade, não importa de nada.
Ninguém reconhece, ninguém entende. Eu só queria fazer alguém feliz, do meu jeito. Que alguém me amasse pelo que tenho dentro de mim, não o que eu aparento no meu corpo. Nunca fui linda, nunca fui santa. Mas talvez eu tenha em mim tudo isto. Talvez, talvez mesmo, eu deva ser alguém legal de se conviver. Que ama, que faz o outro sorrir, que sente saudade, que liga preocupada, que não liga pra não ser inoportuna, que briga e depois reconhece o erro, que se despera a cada segundo longe. Que tenta. Que quer.
No fundo, eu só queria ser alguém pra alguém.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top