Na fila do desemprego

Quando eu larguei meu emprego há 4 meses, pensei que tudo seria diferente: meu cansaço físico, mental e até espiritual iria se transformar em paz e eu poderia colocar em ordem minha mente e meu corpo. O primeiro mês, como de habitual, foi o melhor de todos: acordar tarde e dormir cedo. Eu tinha tempo pra conversar, pra tomar uma cerveja com um amigo distante e até tempo pra pensar. Passado esse mês, os outros foram a mesma coisa. A falta de acordar de manhã e ir deitar no sofá pra ver desenho tinha suprido e eu já não tinha mais o que fazer. Hoje, exatos 4 meses depois, aqui estou eu, com a cabeça a mil por hora, coração apertado e falta de animo. E SEM RECEBER SEGURO DESEMPREGO!! "-Que bobagem Ana, é bom pra descansar! Você tem pais que te bancam!". Isso até poderia ser relevante, se eu realmente gostasse de ficar em casa e viver uma vida medíocre e acomodada. É realmente legal isso? Até quando eu vou ter que ficar à mercê da minha mãe pra me pagar a passagem até a faculdade e, principalmente, a mensalidade da mesma? Eu nunca paguei escola e agora faço minha mãe trabalhar feito louca em 3 escolas pro meu sustento e eu aqui, em casa, sem fazer porra nenhuma? Isso vem me tirando o sono. É muuuuito, muito legal tirar um cochilo a tarde enquanto vejo um filminho besta da sessão da tarde. Mas e minha mente, como fica? Venho me sentindo um lixo, um peso morto. Não que antes eu já não me sentia, mas agora... Meu Deus. Nada dá certo. O estágio que me chamam pra entrevista diz que eu preciso de experiência. PORRA, como eu vou ter experiência no lance que eu acabei de começar a fazer? OK, terceiro ano de faculdade já deveria ter tido uma experiência, ao menos. Mas eu não tenho, e aí? E aí que eu nunca vou conseguir? Por que os outros conseguem e eu não? É sorte? É erro? É "a hora certa no lugar exato"? O que eu faço de tão errado assim? Será que é meu cabelo que não é tão liso como os dos japoneses da minha família ou será pelo fato de uma calça número 40 não entrar na minha bunda? Eu não sei de mais nada. Eu nunca soube, pra falar a verdade. Minha mente está cada vez mais vazia, virando realmente a oficina do diabo. Será amarração? VOODOO? Preciso de uma luz. Não, eu preciso sair de casa. Eu preciso ser alguém, fazer alguma coisa. Limpar casa e fazer a janta não está nos meus planos. Não quero ser a mulher que espera o marido fardado voltar do trabalho verde de fome e cansado de tanta papelada que viu no dia. Eu preciso fazer alguma coisa. Eu só não tenho o começo. Eu já não sei mais onde procurar. Será que um dia eu encontro?

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top