Cuidado, menina.

Sempre escuto "Toma cuidado, Ana" mas nunca concordo. Eu sempre me guiei com cuidado, não propositalmente ou por achar que não seria arriscado. Pra falar a verdade, posso contar nos dedos as vezes que me arrisquei. Não me arrependo, acho que essa coisa de "se jogar de cabeça" uma mera superstição ou talvez uma forma da pessoa se auto-afirmar. Eu sempre acreditei que pegar leve seria o jeito de ter todas as partes em mim, mesmo sem saber como usa-las, como maneira de não ter que decidir o que deveria ficar ou o que deveria partir. Mas eu não sei, acho que ainda é muito cedo para eu ter tanto cuidado assim com tudo. Ou talvez seja tarde demais para começar a não ter. Mas não foi por isso que eu deixei de ir fundo porque foi assim, existindo, que eu descobri o que era essa tal "precaução" que tanto tomava. O que eu quero dizer com tudo isso é que sim, as ilusões dançaram sem ritmo mas eu me recuso a não deixar de acreditar, de não temer o que é desconhecido e muito menos de perder as esperanças que ainda estão acesas em mim. Na verdade, e nada muito além que isso, eu só preciso manter a calma, eu sei que viver é terrível demais, ter que criar casos e acasos para se recuperar de uma dor ou uma perda ou ter que entender que realmente precisamos de cuidado com cada coisa, palavra ou até movimento. Sempre escuto "Para de ser do contra, Ana" e sempre concordo. Eu sempre fui do contra, até mesmo aqui no trabalho, por exemplo, enquanto todos comem feijão por baixo do arroz sou a única que gosta dele por cima. Enfim, isso não vem ao caso. Eu ando confusa demais, atropelando tudo o que falo, a sinceridade está corroendo os ouvidos dos outros e eu não consigo evitar. Agora sim, cheguei onde queria chegar. Ser do contra sem ter cuidado. Mas eu gosto disso... de contrariar. De quem não entende o que eu digo, mas presta atenção. De seguir razão. Mas, sinceramente, eu sou uma manteiga derretida por dentro, mas cuido pra não deixar ninguém ver. No fundo (por mais cuidado e mais do contra que eu tente ser) eu tenho coração de moça.

CONVERSATION

4 comentários:

  1. eu tbm adoro feijao por cima do arroz, é bem mais gostoso

    ResponderExcluir
  2. Você tem que fazer o que tiver vontade. Certo?! Se tiver vontade de alguma coisa, tente. Se não tiver, deixa pra lá. ps.: e eu que nem como feijão!

    ResponderExcluir
  3. "Viver é muito perigoso... Porque aprender a viver é que é o viver mesmo... Travessia perigosa, mas é a da vida."

    Guimarães Rosa

    ResponderExcluir
  4. Ser agente mesmo tem que ser prioridade em nossas vidas!
    Amore amei o teu cantinho...
    seguindo-te!
    Adoraria te ver lá no meu!
    bjs

    ResponderExcluir

Back
to top