último vagão




Ok, vocês tinham razão.

O amor é mesmo uma coisa louca. Do mesmo jeito que ele é capaz de acabar com toda a sua perspectiva de vida, ele te recoloca nos eixos novamente. E te mostra um novo caminho. Não sei como, mas mostra. Às vezes esse caminho vem disfarçado com complicações. Noutras, em pessoas. Ou somente naquela pessoa capaz de te deixar em paz, finalmente.

Foi assim que percebi que o amor é capaz de muita coisa. Me garantiram que eu nunca mais poderia caminhar novamente, e eu aceitei achando que tudo estaria resolvido assim. Mas foi aí que percebi mais uma vez que a gente pode fazer o que quiser. Imagina só se eu não tivesse entrado naquele lugar naquela mesma hora que você. Talvez a vida tivesse sido diferente. É como se eu tivesse entrado num vagão de metro e você estivesse ali, a única pessoa sentada enquanto todas as outras estavam em pé, em seus respectivos mundos. E a cada passo, um mais próximo de você. "Ainda vamos nos casar um dia", tu disse. Eu sorri e me senti completa. E você não sabia da minha história. E eu não sabia da sua. Mas mesmo assim era como se naquele mesmo vagão só existisse eu, você e uma imensidão para conhecer do futuro.

Ainda assim, meus olhos teriam olhos para você. Mesmo com toda aquela gente em pé, entrando e saindo do metrô, eu só conseguira ver a tua vida. Tantas pessoas, tantas outras vidas e eu só teria tempo para te ver. Porque é assim que eu imagino. E eu seria capaz de decorar todos os teus textos preferidos pra te dizer nessa viagem. Tentaria acalmar a luz que insiste acender quando você está prestes a dormir.

Eu te vejo e penso, e entendo que, talvez, por algum motivo que eu desconheça, as derrotas na minha vida finalmente fizeram sentido porque tudo o que passei, cada lágrima e cada pedaço que havia perdido me trouxe até você. Nesse teu caminho. É como se nessa viagem de poucas horas dentro do vagão dos teus olhos, eu soubesse que você é dono da voz mais gostosa de se ouvir. Que eu precisasse dela pra enfrentar os dias. É como se eu te olhasse de longe e já soubesse que teu beijo arrepia cada parte do meu corpo e minha bochecha fica quentinha toda vez que vai chegando mais perto, seja com o toque dos seus lábios ou com o seu nariz quentinho no meu.

Pode ser uma loucura, uma coisa de gente apressada, ou não, mas talvez se eu não tivesse entrado naquele lugar, ou nesse trem hipotético que é a sua mão na minha, talvez hoje, eu não tivesse motivos para acordar de manhã e procurar ser melhor que a dor. Eu não estaria procurando pelas piadas mais idiotas, ou pelas minhas frases mais intensas pra te dizer. Eu, talvez, nunca saberia a sensação de me sentir em paz por beijar suas costas, passar a mão lentamente naquela parte entre a nuca e o começo dos seus cabelos. Pode ser que não seria tudo dessa forma, você poderia passar despercebido, eu poderia não ter notado a tua vida, e o trem continuaria seguindo a sua viagem até o fim.

Mas é aí que percebo que o amor é capaz de muita coisa. Que outra coisa poderia ser capaz de me fazer desejar a possibilidade de acordar de manhã ao tem lado com a mão estendida para a minha?

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top