Gosto de Laranja

- A senhora pode fazer as minhas unhas?
- Que pergunta, você vem aqui todos os sábados, sabe que a resposta será sempre sim.
- Vamos falar sobre o tempo?
- Qual tempo?
- O que a gente vive.
- Ou o que a gente ja viveu?
- Pode ser.
- Mas será que dá tempo?
- Tempo pra que?
- Pra falar disso, oras.
- Mas agora eu quero falar sobre amor.
- Por que?
- Ah, quer coisa melhor do que isso?
- Você gosta dele?
- Dele quem?
- Do amigo dos meninos.
- Ah, gosto.
- Gosta?
- É, gosto.
- Não, você não gosta.
- Ahn?
- Você gosta de laranja.
- É...
- Isso é gosto, não amar.
- Mas eu não disse que era amor.
- E gostar não é amar?
- Não sei.
- Então você não gosta dele. Você gosta de laranja.
- Gostei do pensamento.
- Não, você não gosta do pensamento como gosta dele.
- Dele quem vó?
- Oras, estamos falando de quem?
- Do amigo dos meninos.
- Não, eu to falando da laranja.

CONVERSATION

2 comentários:

  1. aah, avós, avós as vezes acham que sabem da vida, mas na verdade elas sabem apenas sobre as laranjas.

    ResponderExcluir
  2. Que graça! Tem um quê de nostalgia!
    Adoro escritos em forma de diálogo! Sou péssima com isso! hehehe
    Um beijo

    ResponderExcluir

Back
to top