...

Nada era teu, sabe.
Todo amor e ausência que sentia
vinha do meu lado mais ignorado.
E ao te entregar meu caminho,
vacilei ao pensar que seria minha paz.
Sentia falta.
Acabou por mim, fechou sem te ter.
Fugi contra meu próprio caminhar,
se lembra ?
Ao recordar, hoje, talvez eu sinta saudades.
Talvez eu tenha mágoas.
Mas não...
quando tua boca gritou seu ódio por mim,
a minha alma finalmente encontrou alivio,
tornando-me apta para dizer adeus.
E eu não teria motivos para chorar o teu dar de ombros
para toda a vida que eu te entreguei.
Não tenho razão por saber que não poderia esperar de alguém
mais do que podia me oferecer.
Nem mesmo dar aquilo que ia além da minha limitação.
Passou, perdeu-se em saudade.
Vou mudar completamente de direção,
ir contra o Sol e… mas só daqui a pouco.
Quero dormir, agora.
(não me desperte, por favor)

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top