'Não mais que de repente'

Uma breve angústia do que estaria por ler,
que subitamente se transforma em rima [ou raiva
A espera de matéria-prima que preencham as
mal-traçadas linhas.
Por que persisto em doce suposição ?
Por que repito meros passos em vão ?
Por que procuro sombra no calar da escuridão ?
O fato de não saber responder agrega-me
no leve palpitar do silêncio,
tentando abreviar minhas remotas
expectativas.
Ferida pela mais bela ilusão.
Meus olhos ainda úmidos e impregnados de sono,
entendem o desprezo
(pobre e terrível)
que se concentra involuntariamente no espaço.
De repente, porque sim,
permanecerei no equívoco,
com drama [indignação
Sem perder tudo,
virar nada.
Solitária a esconder-se do espelho.


CONVERSATION

2 comentários:

  1. eu queria encontrar um refúgio no espelho, mas nem ele quer me abrigar

    ResponderExcluir

Back
to top