Estrelas

Não vejo motivos nas que de papel seguro, mas as que de cima observo vejo o encanto a me envolver.
Esquecer.
Brilho que confunde as mil faces do sonhar com o desejo de partir.
Quanto tempo eu passei, acreditando que estavam em minhas mãos.
Ao fugir de um passado que de nada foi brilhante. Talvez convenientemente envolvente. Talvez, meramente insuficiente.
Só sei que voltei a crer nelas,
em pedidos
astros
imensidão.
Quem disse que não posso agarrar o distante e o possível encontro com o destino?
Eu posso, eu sei disso.
Só estou presa em silêncio
longínquo e singelo.
Buscando a memória de alguém que saudade sente e que não sei se agarra estrelas tão quanto como
eu.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top