Um toque



Tudo a minha volta ficou escuro. Estou deitado, olho pra cima e só vejo estrelas
Penso em como cheguei até aqui e só me lembro do primeiro dia em que te amei 
Sentia a mesma sensação que era estar naufragando em um espaço vazio, com medo de onde estaria chegando.

Sempre me disseram pra nunca reagir a qualquer situação ameaçadora 
Mas teu sorriso me fez correr em tua direção e te fazer rir de tudo o que eu podia dizer 
Ainda estou em alto mar, mas estou seco, não tenho um convés para procurar pelo farol do qual preciso ancorar. 

Lembro de quando disse que precisava ir embora, me procurou e teve a coragem de mentir, justamente pra descobrir se te amava. Como alguém que faz isso pode amar alguém? De quantas vezes você precisa se destruir para reerguer alguém? Minha estação espacial explodiu e meu corpo foi jogado para o espaço e estou inerte, procurando por alguma salvação, mas estou sozinho. 

Sempre estive 
Eu me lembro quando voltou e me disse que tudo era mentira e que me amava como uma louca. 
Mas eu só sabia te olhar e tentar entender o que me faz sorrir toda vez que te olho mexer no cabelo e se esconder de vergonha quando o faço. Eu sinto meu corpo chegar perto do sol e já sei que é meu fim, cheguei aqui justamente porque quis te provar que te amaria pra sempre e me exilei no espaço pra nunca te esquecer. De quantas palavras precisa pra voltar? Eu sei que pode ser dramático, mas meu corpo foi puxado por alguma coisa, junto de todo lixo espacial e agora já posso respirar. 

Teu sorriso nunca mais será meu lar.

*por Heitor.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top