Não fosse pelos anos que passamos longe, eu jamais teria me ligado que os últimos trinta dias foram os melhores que já pude viver. Sem exageros ou clichês: estar, de fato, com você nesses dias todos me fez ser ainda mais apaixonada pelo seu olhar, suas bochechas vermelhas e pelo seu dedo que levanta todas as vezes que canta uma música ou apoia uma ideia-causa. Deitar ao seu lado, embora que brevemente, foi indescritível. Ver seus olhos pela manhã, a cena mais linda de todas. Ver você dirigindo, a cena mais confortante de todas. Soa até repetitivo, mas você é a melhor parte do meu dia. Do meu ser. Das minhas chatices e dos meus choros. Durante todos esses anos que te conheço - e te amo de fato - esses últimos trinta dias foram só uma pequena parcela de tudo o que podemos ser ainda. De tudo o que está por vir. De tudo o que seremos. De todo o meu amor, tão seu, que só cresce e transborda para fora de mim. De toda a felicidade que, enfim, tive a chance de viver. De todo amor que, enfim, pude doar. E receber. Obrigada, meu bem, por me fazer ser uma pessoa melhor, capaz de sobrevoar os próprios medos e receios. Obrigada por existir dentro desses dias e de todos os outros que, ainda, estão por vir.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top